segunda-feira, 25 de outubro de 2010

9

Tens o condão de me fazer acreditar. Em mim, em ti. Amo-te. Cada vez mais.




If You Were A Sailboat - Katie Melua

If you're a cowboy I would trail you,

If you're a piece of wood I'd nail you to the floor.
If you're a sailboat I would sail you to the shore.
If you're a river I would swim you,
If you're a house I would live in you all my days.
If you're a preacher I'd begin to change my ways.

Sometimes I believe in fate,

But the chances we create,
Always seem to ring more true.
You took a chance on loving me,
I took a chance on loving you.

If I was in jail I know you'd spring me

If I was a telephone you'd ring me all day long
If was in pain I know you'd sing me soothing songs.

Sometimes I believe in fate,

But the chances we create,
Always seem to ring more true.
You took a chance on loving me,
I took a chance on loving you.

If I was hungry you would feed me

If I was in darkness you would lead me to the light
If I was a book I know you'd read me every night

If you're a cowboy I would trail you,

If you're a piece of wood I'd nail you to the floor.
If you're a sailboat I would sail you to the shore.
If you're a sailboat I would sail you to the shore.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

...

video

Why worry - Dire Straits



sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Há um ditado que diz...

...que quem vai à guerra dá e leva. É bem verdade, já o sabia, mas vivê-lo na prática é outra coisa.

Tenho andado, nos últimos meses, tão absorta nas mil e uma coisas que faço, que fui deixando para trás alguns pontos que descobri e comecei a praticar. Um deles, a capacidade de dizer 'não', em vez de me sujeitar a tudo. Outro, a capacidade de me defender de quem me faz mal, ao invés de me encolher num canto.

Dá-se o caso de terem chegado as férias e com elas ter acabado uma série de coisas. E embora o ano lectivo tenha começado em força, com novo 'monte' de trabalho, o espaço é maior e as prioridades começaram, lentamente, a mudar. Vai daí, e por força das circunstâncias, comecei de novo a centrar-me em mim. E a dizer não e a defender-me. E, volto a dizer, há sempre quem me subestime e ache que pode abusar (suponho que aconteça mais ou menos a todos, mas eu só sei de mim). Só que, como esta toca por aqui já tem um sistema anti-míssil, quem tenta dar acaba por levar de volta. E, embora me saiba bem esta capacidade de defesa e olhe para ela como uma das minhas conquistas mais preciosas, é desgastante, muito desgastante, sentir-me em guerra.

Esta semana acaba num clima de meia paz já instalada, mas foi muito complicada para a minha cabeça. No entanto, acabo-a de pé e isso é bom.



terça-feira, 5 de outubro de 2010

Ando...

...com saudades do Natal. Imensas. Queria-o já aqui. Serei só eu?





segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Das escolhas

Há alturas em que tenho de escolher. Em que percebo que não consigo fazer tudo e, por isso, é hora de deixar alguma coisa para trás. Às vezes custa deixar, sobretudo quando estou enfiada até ao âmago nas coisas e sei que vai ser difícil alguém fazer as coisas como eu. Mas não sou insubstituível, sei disso, nem perfeita, nem indispensável, razões pela qual é possível largar.

Chegou a hora de começar a largar. Devagarinho, de mansinho, para que o alívio se instale sem pesos. Sem pressa, mas depressa, que já deveria ter sido ontem, há duas semanas, há três meses. Estou cansada de puxar um carro carregado. Foram anos intensos, cheios de entusiasmo, mas também de um trabalho gigantesco. E agora reflecte-se na vontade de largar, de não fazer mais nada.

Ainda não larguei e já comecei a sentir a acalmia a instalar-se. Tão só porque decidi. Optei por mim, pela minha saúde mental, pelo tempo que por agora não tenho, pelo meu trabalho, pela minha vida. Ganhou a vontade de recuperar o meu espaço. Às vezes sabe bem pensarmos em nós e cuidarmos de nós. Afinal, viver passa (muito) por aí.



sexta-feira, 1 de outubro de 2010