sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Post em atraso I

O dia dos namorados foi há uns dias. Não tive um dia, tive três. Porque começou com teatro no sábado e acabou já na terça de manhã. Do R., mimos. Com ele a dizer-me ‘Eu, se desse isto a outra mulher qualquer, ela ficava a olhar e a pensar que eu lhe devia era ter dado uma carteira’. Mas eu não trocaria por nada o vaso, a terra, as pás e as sementes de girassol que recebi, entre outras coisas. Às vezes, o R. lembra-se de me dar as coisas mais estranhas, para a maioria dos mortais. Mas são coisas que eu adoro e que nunca me lembraria de dar a mim mesma. Talvez por isso fique calada, a olhar. A sentir que ele me vê. Como ele vê dentro, lá fundo, de mim. A perceber que amar é sentir o outro, é estar atento.


1 comentário:

Marisa disse...

Ó Ouriço, isto é lindo, agora fiquei com um nó na garganta (para não chorar de alegria).

Beijos.

p.s.- o outro comment, muito semelhante, é da minha outra conta gmail. Publica só este ;)