quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Nostalgia

Há dias de solidão. Solitudine (porque será que a palavra é muitíssimo mais bonita em italiano, de tão musical que é?).
Boa e má. Hoje é um desses dias. Falta-me qualquer coisa, não sei bem o quê. Um vazio enche os meus espaços e deixa-se ficar a vaguear por aqui...
E traz-me à memória uma canção que já me marcou muito e (hoje) volta fazer das suas... Não pelo amor perdido de que fala. Os amores perdidos já se foram... Pelos vazios que relembra. Pelos desencontros...

Bem o diz Emily Dickinson (Solitude), traduzida para italiano, no poema que aparece no fim do vídeo:

Tem uma solidão o espaço
Uma solidão o mar
Uma solidão a morte - mas estas
são multidões
comparadas com aquele lugar mais profundo
aquela privacidade polar
que é uma alma consigo mesma:
infinidade finita.



Laura Pausini - La solitudine

2 comentários:

observador disse...

Há dias assim. Por vezes sabe bem, para nos encontrarmos. Outras, nem tanto. Mas o curioso é que encontramos sempre uma música para ilustrar o nosso estado de espírito. Conforta. E eu gosto disso.

mf disse...

Eu sou muito 'musical'... Lá encontro sempre um sentido para a minha vida numa canção... Tens razão: conforta...