sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Perdoem-me a pouca fé...

Li aqui - http://belafenix.blogspot.com/ (29 de Outubro) - o elogio do amor puro que Miguel Esteves Cardoso escreveu no Expresso. Lindo, o texto, pelo peso dos sentimentos que transmite, pela certeza da existência de um amor puro que está em vias de extinção.

Hoje, enquanto andava a rebuscar o meu mundo feito de música, deparei com a canção que se segue e lembrei-me do texto. Trata-se de 'Lost', de Michael Bublé (cada vez gosto mais deste gajo...) e exprime, para mim, o amor incondicional que um homem pode sentir por uma mulher. Um amor tão profundo que, quando ela se afunda e se perde, ele não se vai embora, como tantos fazem, mas tem a capacidade de lhe dar a mão e de lhe dizer 'Tu não estás sozinha.. Nem perdida... Eu estou aqui e perco-me contigo até a luz voltar...'

Em relação ao texto, sou tentada a concordar com o facto de que já quase não existe o amor puro...
Em relação à canção, sou tentada a achar que já não há homens assim...

3 comentários:

Quando Existe Um Nós disse...

Que os há...há, mas quando se cruzam connosco, não damos por eles e mais tarde, mais atentas, quando os encontramos realmente não os podemos desfrutar!

Desencontros...contudo:

"A alegria de saber que tu existes, é já suficiente para mitigar a tristeza de não poder estar contigo."

observador disse...

A fé advém da experiência que a vida te vai deixando. Não tens que pedir desculpa a ninguém. É o teu sentimento. O qual, por sinal, partilho.

John Doe disse...

Nem sei o que dizer... Talvez apenas que às vezes andamos todos um pouco desencontrados...

Há Amor que se sente e que por tantos motivos não é correspondido, ou querido, ou imaginado, ou outra coisa qualquer...