sábado, 6 de fevereiro de 2010

Das conversas

Eu gosto de conversar. Falar e ouvir. Há conversas de circunstância, como as que tenho com quem mal conheço, onde podemos aprender e descobrir novos mundos. Há conversas de café giríssimas, como as que tenho com os meus amigos, onde se brinca e se 'pinta a manta'. Há conversas singelas, como as que tenho com as minhas meninas, onde descubro aquelas grandes verdades simples. Há conversas profundas com quem nos conhece bem e onde aprendemos a pensar e nos descobrimos melhores do que achamos que somos. Há conversas sobre tudo e nada, como as que tenho com os meus pais e irmãos, onde mantemos e aprofundamos os laços. E há conversas onde nos mostramos assim como somos, abrindo portas, escancarando janelas, galgando muros. Conversas que rebentam com qualquer muralha. É só uma questão de tempo.

6 comentários:

Jibóia Cega disse...

O que aí vem... :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

"E há conversas onde nos mostramos assim como somos, abrindo portas, escancarando janelas, galgando muros. Conversas que rebentam com qualquer muralha. É só uma questão de tempo."

LINDO! Se todos fossem assim :)

beijinhos amigos

Pulha Garcia disse...

e eu gosto de conversar contigo.

mf disse...

Jibóia Cega:

Bem-vindo à toca!

Pois... Não é quem vem mesmo aí coisa da boa? Eh eh

;)

mf disse...

Daniel:

Se fossem todos assim, as coisas seriam muito mais fáceis, porque muito mais honestas. ;)

Beijo!

mf disse...

PG:
Olha... e eu contigo!

Aliás, tu fazes parte daquele grupo de amigos em construção com quem aprendemos imenso em conversas giríssimas. ;)