quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Do riso


Adoro rir. Não sou dada a grandes filmes cómicos, tipo Mr. Bean, e sou terrível a decorar anedotas (o cérebro ocupa-se com outras coisas), mas adoro umas boas gargalhadas, especialmente se estou em boa companhia. E qualquer sítio é bom para soltar o riso, do café à cama. Sabe-se que rir faz bem à saúde em variadíssimos aspectos. Eu fico muito bem depois de uma sessão de gargalhadas, isso é um facto. Mas não é por isso que gosto de rir. Quando a dois, as conversas recheadas de tolices, as lágrimas a escorrer, os maxilares a doer trazem uma coisa que adoro: a cumplicidade.

10 comentários:

Quando Existe Um Nós disse...

Cumplicidade...intimidade...das melhores coisas que a vida nos pode proporcionar.

:-)

John Doe disse...

Sei do que falas... E é simplesmente delicioso....

Crest© disse...

Sem duvida, a cumplicidade até dá para rir sem motivo, o que é excelente :)

mf disse...

Nós:
É, não é? ;)

mf disse...

John:
Delicioso é, tens razão!

mf disse...

Crest©:
Eu diria que, numa relação, a cumplicidade é dos maiores tesouros a preservar... :)

Marisa disse...

Por isso é que um relacionamento melhora com o tempo: a cumplicidade cresce! E a cumplicidade não é algo que se crie intencionalmente... é espontânea e revigorante! Como o riso!

mf disse...

Marisa:
Para mim uma relação só tem sentido se houver cumplicidade. Sem ela, nada existe. E eu, que sou tão difícil de penetrar, abro sempre uma brecha quando me fazem rir. Se calhar por causa do que tu dizes: o riso é espontâneo e revigorante. E faz-me baixar-me a guarda... :)

Mr X disse...

Ui... tão bem que me revejo aqui. Mas gostei do Mr Bean quando surgiu, como gosto de outras coisas parvas. A parvoíce é também uma arte nobre. A parvoíce, não os parvos. Isso é outra conversa.

mf disse...

Mr X:
Eu também gosto do Mr. Bean, quando estou para aí virada. E de outras coisas parvas, pois claro. Aliás, é em momentos de parvoíce pegada que me rio mais. E concordo contigo: parvoíce sim, parvos dispenso...