sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Natal

O meu Natal, este ano, teve que se lhe diga… Começou cedo, lá pelo dia 20, com uma tarde boa, em que descontraí e passeei como há muito tempo não me acontecia. Ri, brinquei, aprendi. Foi uma tarde boa, muito boa. Daquelas que nos enchem o coração, que nos deixam a pensar. A minha primeira prenda foi esta.
Os dias passaram depois, tranquilos. Conversas boas, em que me apercebi dos meus saltos (continuam, pois é).
Dia 23, uma surpresa. Uma companhia inesperada em vésperas de consoada. Daquelas coisas que não se planeiam, simplesmente acontecem. Interessante, no mínimo. Um conto de Natal. A minha segunda prenda.
Dia 24, um dia tranquilo. Ou quase. Presentes esquecidos. Montes de gente na rua e eu a dizer mal dos meus pecados… Andei na correria, a carregar no pedal, a reclamar com os cromos que se metiam à frente. Eu, portuguesa, me assumo: às vezes deixo para a última hora. Mas lá me desenvencilho. Se há coisa que sou é desenrascada. À portuguesa. ;)
A noite foi tranquila. Em família. Troca de prendas, risos, conversas. Faltou-me apenas a Missa do Galo. Gosto de ir, mas estava muito frio e sair de casa à meia-noite não era o melhor para a minha garganta, que anda outra vez a dar sinais de alarme. Por isso, fiquei no quente. Guardei a ida para o dia seguinte.
Dia 25, um dia em cheio. O Natal, por aqui, dura e dura. As meninas chegaram, com os papás, perto da hora do almoço. Com o diabo no corpo, em palavras da minha mãe. Excitadíssimas. Nas escadas já gritavam ‘Tiiiiiiiiiiiaaaaaaaaaaaaaa!’ Risota. Sobrou para mim, claro. Imaginem lá: um olho pintado de azul, outro de rosa. 3 tipos de gloss nos lábios: um nos cantos, outro no lábio de cima, outro no de baixo (a Marta é cá um artista…). Blush misturado com gloss na cara, no queixo, no nariz. Eu também tive direito a pintar, claro, que isto é uma democracia! Houve espaço para outras brincadeiras. Jogar às escondidas. Andar a correr atrás delas. Por debaixo das mesas, por cima das camas. E histórias. Pinóquio, Cinderela, a Pequena Sereia. Adormeci, eu, que já não tenho idade para tanta energia. Acho que nem o Red Bull me vale… Eh, eh.
O dia acabou tarde, bem tarde, madrugada fora. Mais conversas. Novas surpresas. Outra prenda.
Hoje é dia de paragem. De contemplação. Bons dias, estes. Um Natal, no mínimo, original na minha vida. :)
Só mais uma coisita: tive saudades aqui do estaminé… Da vossa companhia. Não estou habituada ao silêncio por aqui. :)

15 comentários:

Fênix disse...

Belo natal o teu :)

Como eu queria um assim, vou ter que me portar realmente melhor para o ano que vem!!!


Beijinho

mf disse...

Fênix:
Os últimos Natais foram quase para esquecer. Já merecia um assim e, olha, foi este ano... :)

Beijo para ti

mf disse...

Fênix:
Os últimos Natais foram quase para esquecer. Já merecia um assim e, olha, foi este ano... :)

Beijo para ti

John Doe disse...

Excelente natal pelos vistos. Tu merecias. Beijos enormes...

mf disse...

John:
Merecia, mereço e merecerei, se Deus quiser... Já chega de porcaria! Eh eh ;)

Bruno disse...

Gostei principalmente de teres recebido como presente um Conto de Natal. Já me ocorrera oferta semelhante, mas não me sinto capaz de preencher um impresso, quanto mais de escrever um conto. Será dos presentes que mais valor merecem. Algo que fizeram para nós, por nós, ficções à procura de serem reais, personagens que nos dizem qualquer coisa, que nos fazem ser mais do que meros leitores. Conta mais...

mf disse...

Bruno:
:)
É bom receber um conto, sim, embora muito tenha ficado a cargo da minha imaginação. Mas é uma ideia muito gira, sim!
Já não é a primeira vez que me acontece escreverem a pensar em mim, o que me sabe muito bem. E se tu tens um blog e tudo, não te será difícil começar... ;)
Quanto ao teu pedido: o que queres que eu conte? Pergunta lá, pode ser que me dê para responder... Eh eh... Volta, que eu cá te espero! :)

Bruno disse...

MF,

quando dizia "conta mais" era para que acrescentasses um ponto ao que contava esse conto e partilhasses connosco (ou comigo, se não quiseres que outros saibam) o que versava a prosa.

Quanto a mim, agora só poderei escrever um conto de pós-natal, o que se calhar até é temporada que proporciona maiores inspirações para a composição da narrativa.

Voltarei, certamente. E quando mais perguntas houver, não deixarei que elas me calem.

mf disse...

Bruno:
Mmmmm... Vou ter de pedir ao dono do blog, que é meio secreto... Eh eh
Aliás, aos donos, que há mais do que um, daquilo que me foi dado a perceber. Se calhar a ti não te dirão nada, a mim souberam-me muito bem.
E pergunta, homem, que eu respondo... ;)

Anónimo disse...

Blog secreto, donos secretos... Quase parece o Shiuuuu...

Quem me dera... receber um conto...

Feliz ano de 2009 que o Natal já foi...

R.

mf disse...

R.:
Pois... Podia ser o Shiuuuu, mas não é... Eu tenho alguns segredos (e alguns segredados lá), mas sou de carne e osso... Ainda que um bocadito secreta, sim, porque raras pessoas conhecidas sabem da existência deste blog. Mas eu gosto assim. Fico mais livre... :)

Volta sempre, tu! Não sei quem és (meio secreto/a, também!), mas, quem sabe, não tens uma surpresa!

Anónimo disse...

Hum... uma surpresa... gosto... Já cá vim... voltarei... Revelada...

fiquei curiosa...

Pronto.. mau feitio.

Obrigado pela recepção;)

R.

mf disse...

Eh eh... Logo vês... ;)

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
mf disse...

R.:
Sempre às ordens, para quando precisares... Aqui guarda-se o que se tem de guardar... E há sempre uma palavra amiga... :)