terça-feira, 24 de novembro de 2009

Da luxúria

Em Praga, houve um baile lá no curso onde estive. Uma brincadeira, mas para a qual (quase) toda a gente se engalanou. Lá fomos todos pipis beber, rir e dançar. Sobretudo dançar, no meu caso, que sou absolutamente louca por isso, embora tenha nascido com dois pés esquerdos (ainda vou aprender, um dia destes).

Eu danço para mim. Danço por dentro e para dentro e só interajo com alguém (com algum homem, entenda-se) se me sinto completamente à vontade. Tive a sorte, lá, de ter um amigo com quem o pude fazer. Foi uma risota pegada andar a ensinar-lhe passos de dança e a curtir a música sem ter de me preocupar com outras coisas.

Talvez por me ter sentido assim solta, no fim da noite, já a companhia tinha ido nanar, um grego (ai os gregos...) sai-se com uma fabulosa frase que me vai ficar gravada: 'You're a hot woman!' Eu devo ter ficado embasbacada a olhar para ele e escangalhei-me a rir por dentro. Digamos que, como frase de engate, não é das melhores, pelo menos comigo, que de imediato pensei: 'Ó cachopo, 'tadito de ti... É que nem que andasses aqui à volta a noite toda.' E ele bem que tentou mais vezes, mas não teve sorte, como é óbvio, ou não fosse eu um Ouriço que só se dá quando confia.

Lembrei-me disto porque, este fim de semana, ao contar a história a uma amiga que também esteve presente, uma excelência que connosco partilhava a mesa e que ouviu olhou para mim e sai-se com uma frase também ela brilhante: 'Não imagino o que possas ter feito que o possa ter levado a dizer isso...' Eu ri-me e, a bem dizer, não respondi. De facto, não imagina. Ninguém me atribui, por fora, o gosto pela luxúria que me atravessa. Aquele que eu, aqui, revelo no Prisão de Palavras, puro e duro como deve ser. Que é tão normal em qualquer mulher que seja mulher, eu diria, mas pelos vistos muito anormal em mim, que ainda sou encarada como uma 'santa' assexuada em alguns círculos. Eu tenho azar, que as respostas não me saem à primeira. Porque deveria ter-lhe dito qualquer coisa como 'Há muito mais em mim do que tu pensas ou sabes...' Talvez outro dia me saia. Só para o pôr a pensar... Eu nem gosto nada de dar cabo da ideia feita que têm de mim... ;)

13 comentários:

Minhoca disse...

Bem o comentario da mocinha n foi la mt simpatico, diria eu, o melhor e nem teres msm respondido

LBJ disse...

Há sim senhora que eu sei que há... :D

Beijos ouriça bailadora

13 disse...

É que é mesmo lixado quando as respostas não saem de imediato... Timmings... :)

Storyteller disse...

Ai há, há!
Que gaja parvalhona... Irra!

mf disse...

Minhoca e Storyteller
Lol. Só agora percebi que o texto tem dois sentidos. Quem disse o que disse é um homem, não a amiga com quem eu conversava. E tem razão no que diz, sabem? Sempre que me vê encontra-me muito simples e discreta, porque o meio onde ambos nos movemos é mesmo assim. O post não pretende criticar a frase, mas sim mostrar(-me) que há coisas que eu ainda não mostro (ainda bem ou ainda mal? Isto é que eu ainda não consegui perceber), embora gostasse de o fazer nem que fosse só um bocadinho.

Beijoca às duas!


PS - E, sim, Storyteller, eu sei que tu sabes que há! Eh eh ;)

mf disse...

LBJ:
Olha outro que também sabe... Eh eh

Beijoca!

mf disse...

13:
Eu não sou nada boa em timmings... :S

Storyteller disse...

Acho que a mania que tenho de saber tudo está a tornar-se contagiosa... será prima da Gripe A?

R. disse...

Então tens dois pés esquerdos e, afinal afinal, eras tu quem ensinava os passos? Em que ficamos? ;)

13 disse...

Pois... O que é péssimo.
Sabes do que sofres (aprendi ontem)? De esprit de l'escalier :)

mf disse...

R.:
Pois é, como vês, troco-me toda. Mas os passos eram mais braços a funcionar do que pernas. Essas deixo-as sossegadinhas. ;)

mf disse...

Storyteller:
Lol. Se calhar! :D

mf disse...

13:
Ora está-se sempre a aprender! :D