terça-feira, 25 de novembro de 2008

O que eu rumino (I)

Hoje ando a pensar numa conversa que tive ontem. Com uma das duas únicas pessoas que deixo verdadeiramente entrar no meu mundo (ah, pois é, quando vos digo que sou solitária não brinco). Dizia-lhe eu que se calhar não sei o que é amar. Das duas grandes relações que tive até hoje, só a segunda me mostrou aquilo que eu acho que é amar. Mas mesmo assim não tenho a certeza, dada a forma como acabei por lixar a minha cabeça. A resposta que levei perante esta dúvida foi: 'O problema se calhar não está em ti. Cá para mim tu sabes o que é amar. E muito bem. Não sabes é o que é ser amada.'
Assim me calou. E pôs-me a pensar. E acho que tem razão. De facto, não me lembro de ser apreciada como apreciei. De ser entendida como entendi. De receber como dei (não venham cá com tretas, que amar é dar e receber). Nem por eles nem por outros. Talvez um dia venha a descobrir...

16 comentários:

John Doe disse...

Descobrirás com toda a certeza. Já te disse que tenho a certeza que sim.

mf disse...

Para te ser honesta, não sei se descobrirei. Sou demasiado intrincada. Um labirinto demasiado grande. Daqueles que interessam, mas que depois são tão complicados que se acaba a vontade e se desiste. Não tenho grandes dúvidas de que outros me apreciarão. Tenho é dúvidas se algum ficará.

John Doe disse...

Mas perdoa-me a vulgaridade. As intricadas é que são boas. Dão luta....

E ficará. Alguém ficará.

mf disse...

Talvez se invente algum GPS que ajude... Não me parece que as minhas mãos nuas o consigam sozinhas...

John Doe disse...

Não precisas de um GPS, nem apenas das tuas mãos nuas... Tens aqui umas para te ajudar no que puder...

mf disse...

Eh eh... Seria bonito, um megafone atrás de mim! ;)

John Doe disse...

Nem que seja preciso, ou um neon brilhante...;)

mf disse...

Eh eh eh eh...

John Doe disse...

sou suficientemente grande para dar um "abre olhos"...

;)

mf disse...

Eu é que fugia a sete pés...

Cold disse...

O amor acontece quando é a dois. E desse não conseguem ambos fugir. Aproveita este intervalo de tempo que a vida te dá até que o amor apareça e te escancare a porta do coração!

Minhoca disse...

Alguem vai ficar, todos temos a nossa cara metade por ai perdida:) E o que ficar e tentar encontrar o caminho e percorrer esse labirinto é o que vale a pena :)

mf disse...

Cold:
Estou a aproveitar, estou. E pode ser que tenhas razão e que surja aí uma força irresistível.

Escancarar a porta do coração... Adorei a frase: quem sabe um dia destes não deixo o portão do labirinto aberto...

mf disse...

Minhoca:
Pois... Alguém há-de querer descobrir, não é? Há sempre um teimoso... Eh eh

(In)Questionável disse...

Já te falei do Príncipe, não falei? Pois é... :)

mf disse...

(In)Questionável:
Isso é mesmo fé! :)