segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Fragilidade

Porque é que quando alguém descobre de mim alguma coisa assim de surpresa eu fico nesta fragilidade louca? Alguém me explica? Que raio de sensação estúpida que gostava de não sentir...

4 comentários:

Bruno Fehr disse...

Odeio que saibam de mim tanto quanto eu, fico sempre com uma sensação de estar em desvantagem, pois não me interesso em descobrir nada dos outros. Se me dizem, dizem, se não dizem, temos pena!

Manuel de Jesus disse...

Neste mundo virtual, as sensações de fragilidade têm que ser efémeras, não somos invisíveis, mas estamos ocultos na multidão e protegidos por ela. Como num bom baile de carnaval Veneziano, debaixo de uma mascara há sempre outra mascara… Have a nice day.

mf disse...

Fehr:
Haja alguém que me entenda.

mf disse...

MJ:
É, o bom das sensações é que são efémeras. Algumas vão-se até com uma facilidade incrível. São como os picos do meu ouriço que eu arranco assim que me magoam. Ficam lá a fazer o quê?
You too.
:)